Arquivo de etiquetas: Luz

Equidistâncias

céu meio seu meio meu olho um mar aberto outro fechado 2017-05-30

Publicado em Microcontos, Poesia | Tags , , | Deixe o seu comentário

À sombra das horas

há dias sobre os telhados à espera de nossas janelas manhãs que à noite se beijam e nunca tarde se deitam há tempos sob todo o céu que em cada tempo mora abracem-nos sóis de aqui na sombra de cada … Continuar a ler

Publicado em Poesia | Tags , , , , , , , | Deixe o seu comentário

Minha ideia de mim

quem sou tu és ideia que me tens e tenho por que vivo sou a pergunta à resposta que me dás reticiência sem conclusão sou mais do que era sabido sem menos do tempo sofrido sou a insurgência na tua … Continuar a ler

Publicado em Poesia | Tags , , , , , , , , | Deixe o seu comentário

Estrelas

teus olhos estrelecem meu peito quando sorriem 2016-11-30

Publicado em Aforismos, Microcontos, Poesia | Tags , , | Deixe o seu comentário

Olha para ti

olha para ti na jangada dos dias sem fôlego vês a fuga dos crepúsculos sem sombra de sonhos e destino nenhum e vais indo vais olha para ti carregas todos teus mistérios em alforges minúsculos mister de uma vida algures … Continuar a ler

Publicado em Poesia | Tags , , , , , , , , , , , | Deixe o seu comentário

Altiva circunstância

aquieta o orgulho da tua espada põe silêncio na tua majestade ouve o silvo dos justos murmurando os tempos até à nudez dos espíritos vê teu brilho esmaece se manchas as mãos sem dor vê o mate de todas as … Continuar a ler

Publicado em Poesia | Tags , , , , , , | Deixe o seu comentário

As guerras das tribos

colocamos ao peito toda a renúncia sob a sombra de estandartes erguemo-nos fantasmas determinados desembainhamos vaidades dos ovos das trevas rendidos em punhos de sangue na cegueira das trincheiras porquê a glória vã por que se prendem razões e pelejam … Continuar a ler

Publicado em Poesia | Tags , , , , , , , , | Deixe o seu comentário

Juízo a final

trago infernos que despontam nos gumes de minhas lanças a cada guerra de medos em danças de fogo posto em nome de tantos nomes alheios ao nome que quis há uma terra fumegante que fenece sob os escombros de mim … Continuar a ler

Publicado em Poesia | Tags , , , , , , , | Deixe o seu comentário

Coisas do meu género

venho do ventre ó minha mãe olho de frente semente do mundo nasci cresci criança e falo amiúde me vi à janela do tempo ora errante ora maré cheia e caminho firme de sentido fundo à frente a flor traz … Continuar a ler

Publicado em Poesia | Tags , , , , , , , , , , | Deixe o seu comentário

Ridículos

não somos ridículos por já ridículos sermos mas pela lucidez de o sabermos 2016-03-30

Publicado em Aforismos | Tags , | Deixe o seu comentário