Era cedo

era cedo para ser a tarde triste
ainda a manhã sequer
tarde seria
quando a luz da tua noite viste
mais forte que a sorte que morria

era cedo na hora em que partiste
tão cedo era a vida
e tão pungente
no teu lugar uma janela persiste
e nela tua estrela intermitente

nesse lugar de onde não saíste
era cedo em tudo
o que fazias
muito cedo mas teu dia resiste
ainda por sonhar novos dias

2020-05-31

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *