De palavra

palavra
minha arma
é de papel
e fracas memórias

tem o som de uma espera
enquanto voa
tem a cor da ousadia
enquanto espera

tem todos os tons
dos jardins que não colho
quando escolho
um nome
nas flores que há em ti

mulher
homem
de palavra sou

2018-10-30

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Publicado em Poesia | Tags , , , , , , | Deixe o seu comentário

Incessante

incessante é a mudança
que muda o que já mudou
e apesar de mudada
não muda
nem é outra
a sua essência

não cessa sua força
nem tem limite
pela mudança se medem os tempos
e se assinalam memórias

assim o amor
que
mutante
se assegura perene

2018-10-30

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Publicado em Poesia | Tags , , , , | Deixe o seu comentário

Até nada

quando as condições se propiciam
tudo pode acontecer
até nada!

2018-10-30

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Publicado em Aforismos | Tags , , | Deixe o seu comentário

Filhos da guerra e da paz

por que maior
a arte da guerra
onde investes
teu talento
teu denodo
teus destinos

por que da vida
essa arte
se a morte o fim
das tuas mãos
na forma do barro
na palavra que agitas

vã glória
a vitória
esse alarde que fazes
sob o manto
desses teus dias turvos

faz amor
filhos à paz
e um futuro
faz
desse teu ventre
o mais fecundo do mundo

2018-09-30

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Publicado em Poesia | Tags , , , , , , | Deixe o seu comentário

Vitória

a pedra gravada de teu nome
onde cantaste teu fulgor
teus feitos
que glória

essa pedra onde esculpiste
a ferro e fogo
a última tentativa de ludibriar o tempo
e o desespero pela eternidade

essa pedra
é areia e pó
apenas grãos de areia e pó
tal como o teu sangue

um dia algo mais puro e leve
viverá na esperança
que sempre renasce
sorrindo
nas mãos de uma criança

2018-09-30

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Publicado em Poesia | Tags , , , , , , , | Deixe o seu comentário

Sonhos que passam

são sonhos que aqui vão
não pelas paredes
que o não são
mas pelas pessoas
que passam

2018-09-30

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Publicado em Poesia | Tags , , | Deixe o seu comentário

Cada um sua penitência

me penitencio:
na minha cabeça não cabe sentença
a que toda a verdade lhe pertença

2018-09-30

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Publicado em Aforismos, Poesia | Tags , , | Deixe o seu comentário

Momento

deixa-me ficar
neste momento único
com tudo de ti e de mim
preso à liberdade de dentro

prende-me as mãos
aos sonhos que nos povoam
com um abraço aqui
selemos nossos medos

a gente não sabe ao certo
um lugar perto
do céu para se viver
todo o medo se resume
e presume
medo de morrer

2018-08-30

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Publicado em Poesia | Tags , , , , , | Deixe o seu comentário

Tempos perdidos

andamos
em busca de sonhos perdidos
desde a infância
procuramos sempre
perdidos
nunca sabendo
o alcance
algures após o fim
de quanto em sonhos
logramos

iludimo-nos
na corrida que damos ao tempo
mera promessa
quando o tempo não corre
aqui agora
para mim e para ti

2018-08-30

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Publicado em Poesia | Tags , , , , | Deixe o seu comentário

Singularidade

sou pessoa singular
de um só tempo de um só lugar
singularmente me repito

nada do que é comum me contenta
a parecença uma tormenta
de não mais ser único

2018-08-30

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Publicado em Poesia | Tags , , , | Deixe o seu comentário