Tempo nosso

há um tempo
que se insinua
em ti e mim
que de sinais teus lábios
criam
momento
de sonho no meu
teu corpo aqui

som de nós
silêncios sem pudor
se calam
és toda a música
meus olhos bailam nos teus

dança de brilhos
luzes em redor
se apagam
és todo o cinema
que na minha mão se move

já mais
beijo
nunca te vais

meus dedos cegos
fundem tua pele na minha

fazemos tempo
sempre único
teu e meu

2012-02-29

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *