Moral e moral

vindo sem virtude
vistoso da vitória
virtual
me esqueço
a moral presa no meu bolso

tendo a moral escondida
sem fé no moral
que me assola
a que vitória a moral submeto
sem bolso para a moral da derrota

se moral não há no desafio
que outra debalde eu intuo
no bolso da memória
a que resisto
por que a penas eu luto

reste a moral
eu insisto
a chave esquecida
na proa de meu destino

2015-03-29

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , . ligação permanente.