Poesia livre

fala-me
a palavra livre
a palavra inconformada
irrepetida
que se expõe além da forma
sobre os formatos do caminho
palavra que se não dita
aqui grita sua desdita
e prevalece
sem alinho

diz-me
a palavra que me dás
é também a que te dou
sem a frágil solidez
dos contornos expoentes
procura-nos em recantos
de fugas permanentes
exuberante
flui andante
quando te traz até mim

lê-me
a palavra vadia
sem desvelo d’escrita
nas janelas da tua pele
qual rima erudita
o verso
tem o sabor e a cor
que em toda a palavra habita
quando inventa
que sabe de cor a vida

2014-11-30

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *