Não sei

Não sei porque tenho saudades do que não tenho
Ou será que o tenho pelas saudades que sinto
Não sei porque é tão intenso o desejo
Se nada ter é sina do amor, meu destino

Por tão te querer de ti nada quero
Tudo te dou, minha alma meu mundo
Não sei por que de ti nada espero
Se espero tudo em cada segundo

Invade meu mundo, tu sabes
Afunda os teus olhos nos meus
Liberta a chama que trazes
Inunda-o de encantos teus.

2010-03-12

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *