Pelas fontes

As lágrimas irrompiam indomáveis,
quais tsunamis alagando praias sonhadas,
subindo rios, trepando vales.
Fontes inacessíveis.

2010-01-27

Esta entrada foi publicada em Microcontos, Poesia com as tags , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *