Canto de fadas

Ai, encantado amor da minha vida
Não, não desespero
Nem me queixo
Vivo de sonhos dedilhados em segredo
Regando a esperança
De que o teu desejo seja
De mim tanto
Quanto te quero bem
Pois o meu se sacia
Da lembrança
No toque de meus dedos

2010-09-09

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *