Há instantes

há instantes felizes
idílios infinitos
pastoreando o azul
num regato de estrelas
mais d’amor que a hora profética
solta na promessa do vento

2014-01-04

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *