Homem nu

homem relâmpago
tempo fugaz
risco puro
rasgo contra a parede escura

agigantas a tua história
vã glória
apenas persistes
quão em outras histórias existes

homem de feitos
teus imperfeitos braços
te dão a feição
tua razão tão forte
quão mais forte
é o mais frágil dos teus abraços

homem nu
calas fundo o pavor
lá onde o sonho emerge
quando além de ti
tudo és
e de nada
constróis toda a esperança

2013-12-30

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , , , . ligação permanente.