Tu, minha liberdade

contra ti não consigo
lutar por ti
minha liberdade
porque te quero sempre
uma igual oportunidade
de me ser diferente

sem ti não consigo
amar-te
tão mais gente
uma humana possibilidade
de indefinida mente
ser de mim igual

se pela paz em ti eu luto
e não vejo aí contradição
morres-me em tudo
se não te uso
porque na verdade vives
de não me seres opção

por ti eu sempre vou
e nunca fujo
de ti não me solto
nem a mim te prendo
nada em tudo eu te mudo

só contigo eu amo
mundo
teu âmago vivo
tão pleno quão profundo

2013-12-30

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , , , . ligação permanente.