Nus primórdios da cor

diz
me onde plantas
as cores
se flores
se recusarem a nascer!

2013-12-16

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *