Brisa marinha

vêm ventos que de a mar
longe dos medos ausentes
embalam as frágeis certezas
nas escarpas da solidão

2013-05-26

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *