No teu lugar

vias que não há mais aqui
as margens de outrora
mundo se foi, que novo vem
viagem de agora
em horas que não adias

no teu lugar

todos os postulados naufragam
em novos que te salvam
espirais erguidas
de certezas (des)construídas
emersas de quanto crias

no teu lugar

ousam-se lugares dos sonhos
insistentes miragens
que te precedem
sinais com que moldas a fé
na tua decisão dos dias

no teu lugar

2013-04-30

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , . ligação permanente.