Teres

tens na panela
os legumes
as carnes e os sais
tens a sopa
a pedra dura

tens no salário
pouco teres
os quereres que demais
tens de outros
não mais seres

tens as cores
tuas crinas
num veloz cavalo branco
tens um burro
quando foges

tens de tudo
ai amores
as paixões e nada tens
porque vives
também morres

2013-03-17

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , . ligação permanente.