Chama mentos

te a mar de chamas
me apazigua
na praia-mar que ansiamos
nada
mais nado teu m’ar
que me arde coração

te soprar de velas
me desagua
em porta-luz que enseamos
anda
mais ando teu adro
que me herda todo chão

ondas que são
onde tu me chamas
tão de chamas
como te chamo eu

2013-02-28

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *