Vagas

tu sabes
nas vagas de teus olhos mar
sabes
os meus sentidos vagueiam
a fundo
todo o sentido dos teus

tu sabes
da tua que outras vagas não
saber-se-ão
de teu horizonte
vagamente sabes
todos os saberes são vagos
mas os sentidos não

ver
de teus olhos
verdes
tanto azul por saber
que em outras cores se parece
o branco de meus olhos cegos
de-vagar tudo que sinto
é solidez que transparece
nas vagas de nossos medos

2012-12-31

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *