Quero

quero a dúvida que me dás
a incerteza de amanhã
nada mais sermos que nós
além de todo o desejo
quero tudo neste instante
o fogo e a água
a terra e o ar

nada me dês que não seja
da infinidade do beijo

a saudade do meu beijo no teu
o desejo do teu beijo no meu

quero
com meus dedos falar-te
em meus lábios moldar-te
e em teu corpo
esquecido da voz
subir-te ao cume de nós

quero
a voracidade de dentro
na serenidade da pele
das águas calmas tormento
todo o tempo num arrepio
todo o ar um respiro

olhar-te até tardar o tempo
e perdida a mente
olhar-te
como se amanhã o teu olhar
nunca se despedisse do meu

2012-10-31

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , . ligação permanente.