Todo o mundo

de todos serem, seus mundos
mais de si tudo o que são
menos de outros, por mais fundos
por mais sol à solidão

tantos mundos os teus laços
universo que tu nasces
mesmo mundo quanto o mudes

para que inteiro o mundo teu
em abraços não se detenha
menos que todo o tempo seu
apenas no chão que contenha

que mais mundo quererás
que outros mundos terás
além do(s) que em teu mundo cuides?

2012-07-31

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *