Ensina-me

Acredita
Não receies
Dá-me a tua mão
Ensina-me
À tua luz
Lavrar meu chão
Semeia-me
Das verdades
Inocentes
Incongruentes
E das mentiras
Povoa-me
Tão somente
As transparentes
Aprendi
Em ti
Acredito

2010-05-04

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , . ligação permanente.