Corpo liberto

apenas o silêncio
uma voz longa
de tantas memórias
em cada minuto que conta
o corpo ainda entende
porque perdido
de todos os segredos
que sempre gritou
de si liberta
e tudo lhe resta
em sua voz branca
que replicou

2012-07-10

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , . ligação permanente.