Princípio da sabedoria

Tu sabes
O topo de uma escada
é um novo patamar
Só mais um degrau
Largos horizontes
Chão a desbravar

Nada do que sabes
É tudo, nem demais
Por mais denso e profundo
No percurso que inventas
Sempre descobres mais
Que menos sabes do mundo

Quanto mais sabes
De ti menos conheces
É de procuras teu saber
Não do já descoberto
Mas do que, incerto,
Ainda falta conhecer

Tudo o que sabes
É que nada conheces
Do que há-de vir
Traças os trilhos
Fazes os caminhos
Por descobrir

Tu também sabes,
Filha
Do amor
Sempre presente
Em nós, em ti
Em quem a esperança
Te acalente

A ti pertences
Em ti radicas
Brotas em flor
Te dás à vida
Em vivas pétalas
Do teu esplendor

2010-04-28

Dedicado a minha filha por ocasião da conclusão do seu Mestrado, na Faculadade de Engenharia de Universidade do Porto

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , , . ligação permanente.