S. João no Porto

a noite estreleja dia pleno em tuas mãos
sempre criança de amanheceres
as inesgotáveis cores do teu sorriso
teus dedos ruas em rusga sanjoanina

na haste da flor, porro alho da sorte
te enamoras cidade de esquecida idade
te despertas manjerico de alegria
vestes de perfume tua pele de campina

é teu o lume nas fogueiras que saltas
o sol mais perto que à noite alcanças
crepitando amores, passos de brasas
no incandescido chão do estio que danças

adormeces teus medos quando cantas
a manhã ao longo dos teus sonhos
e de abraços renasces e te levantas
sob universos de céus risonhos

2012-06-23/24

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , , , . ligação permanente.