Caminheiro

que forças trazes
caminheiro
quão mais das fracas
tão fortes as fazes

que fases crises
caminheiro
quantos cansaços
em tanto realizes

que sinais idos
se no pó entre as estrelas
toda a luz de teus sentidos

que vias em ti
se em teus passos a bola
de cristal é já aí

vem daí, vai
aprende teu destino
faz sábia tua escola
caminheiro, não há caminho
que não seja tua escolha

2012-05-31

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , , . ligação permanente.