Uma pena

uma pena voou
uma pena tão pequena
que em tudo se alcançou
onde em nada se pousou

a tempestade foi maré
que em vento congelou
a terra seguiu seu tempo
quando uma pena voou

por que ontem se foi
amanhã que já não era?
pela minha mão passou
todo o mistério da pena
que na hora despedida
nenhum mundo parou

de mim, que a não retenho
uma pena segue o norte
que a sorte não virou
apenas de si, toda a vida
em seus sonhos nascida
uma pena voou

2011-11-29

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *