Naveguemos

Amaremo-nos em esquadrão de águas
Rumo ao desconhecido a céu descoberto
Não perguntemos quanto a mar nos vamos
Amar-nos-emos quão de coração formos
Em toda a asa branca em que velamos

2011-07-29

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , . ligação permanente.