Entre pausas

há dias
e há palavras
pausadas
entre as estrelas
escritas sem medo
do tempo
perdidas
à sua sorte
há dias
e há palavras
encontradas
entre as vírgulas
traçadas em branco
irreticentes
em seu longo norte

2011-06-14

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *