Entre pausas

há dias
e há palavras
pausadas
entre as estrelas
escritas sem medo
do tempo
perdidas
à sua sorte
há dias
e há palavras
encontradas
entre as vírgulas
traçadas em branco
irreticentes
em seu longo norte

2011-06-14

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , . ligação permanente.