Nosso mundo

Estrela branda que me vens de estradas
E enlaças de uma infinita cor
Para além do tempo e do lugar
Neste tão nosso mundo tudo no deserto

Sê-me a luz que me vem de brisas
Desvenda-me o in-vento-mor
Que na lonjura da saudade
Me sopra de amor tão perto

2011-05-27

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *