Mil e uma estrelas

E o amor já Ali
Babá em (des)espero aflito
Irrompendo de sopetão
Abre
Cadabra meu segredo
Mo toma dado roubado não
Na caverna dos sentidos
À porta da razão
Nem sei se de mais se de menos
Se 40 passos perdidos
Loucos nos aconchegamos
No paraíso plano
Que nos estendemos no chão
A noite já é de mil
Nas estrelas que do sexo
Nos são humana redenção

2011-05-15

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *