Haverá?

Haverá alguma comedida voz
que cante quão de sagrado
todo o rosto humano tem?
Ouso uma divina canção,
que sempre vejo e tão pouco ouço!

2011-05-02

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *