Devaneio

sou romântico incorrigível
na vertigem da cidade em ruínas
talvez alguma pedras
ainda leiam
meus frágeis versos
folhas que o vento esquece
no zumbido das avenidas

2020-12-30

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *