Um choro que nasce

somos um choro que nasce
no contentamento do mundo
sorrindo

um grito

somos a ponta de flecha perdida
alvo de olhares de atenções vazias
somos o dardo que espera
sua saída
em arco que ousa a sagração dos dias

somos a onda de chama presa
que sopra à vela seu destino
e ao vento somos outros
a cada passo
pela vida que seguimos em desalinho

somos sorriso que morre
no esquecimento do mundo
chorando

emudecido

2020-11-30

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *