Erro humano

errei para a vida
quando a vida me sorriu
e errando me refiz
dos erros que ela me viu

protestou-me a memória
pelos erros cometidos
e lembrando-a me esqueci
de quão eram repetidos

mas da vida o que não fiz
não me lembro nem errei
nem memória disso tive
nem resquício disso sei

2020-06-30

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , . ligação permanente.

2 Responses to Erro humano

  1. “…
    mas da vida o que não fiz
    não me lembro nem errei
    nem memória disso tive
    nem resquício disso sei”

    Trouxe-me um poema teu a este local. Gosto de ler-te.
    Um abraço e em tempo de pandemia, cuida-te!

    O teu poema, aqui:
    https://eternamentemenina.blogs.sapo.pt/danca-das-horas-71535

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *