Minha arte

minha arte perguntou por mim
eu já não estava aqui

morreu-me de repente
o fôlego
e nada mais que esquecimento
restou por fim

minha arte perguntou
ai de mim

2020-03-31

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *