Rap que a vida diz

o sol que se levanta
a lua à espreita
nas curvas das horas
de uma rua estreita
e uma voz canta
na casa onde moras
tua sorte
tua dor que se espanta
outra voz se cala
tua mão estendida
teu passo se abeira
tua vontade se apressa
quando a pressa se deita

quando queres mais
muito
queres voar
a tua vida não pode seguir
no ar
a tua vida tem de ser
a tua vida que tens
de ter
a vida sofrida
que tem de amanhecer
a vida que te traz
feliz
um dia
a vida que te apraz
mais
outro dia
assim

sabes que o tempo
não é o tempo que passa
mas o sem tempo
em tudo que faças
o tempo de cor
o que soletras num beijo
sem tempo em redor
e sorris
para a vida que diz
é o teu tempo
petiz!

2020-01-30

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *