Suspiro

Um suspiro
suaviza o ponto
alongando-o da eternidade
de um pensamento
ao vento
É um assalto fugaz
que, ao se ir, fica
qual aragem
que desperta
o adormecido
nunca esquecido
numa carícia

2010-03-29

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *