Filhos da guerra e da paz

por que maior
a arte da guerra
onde investes
teu talento
teu denodo
teus destinos

por que da vida
essa arte
se a morte o fim
das tuas mãos
na forma do barro
na palavra que agitas

vã glória
a vitória
esse alarde que fazes
sob o manto
desses teus dias turvos

faz amor
filhos à paz
e um futuro
faz
desse teu ventre
o mais fecundo do mundo

2018-09-30

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *