Singularidade

sou pessoa singular
de um só tempo de um só lugar
singularmente me repito

nada do que é comum me contenta
a parecença uma tormenta
de não mais ser único

2018-08-30

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *