Mãos

Nas minhas mãos
No dígito táctil das minhas mãos
Está tudo o que inventei
Tudo o que meus olhos já viram
Ou que apenas anteviram
E ainda não olhei

2010-10-03

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *