À sombra das horas

há dias sobre os telhados
à espera de nossas janelas

manhãs que à noite se beijam
e nunca tarde se deitam

há tempos sob todo o céu
que em cada tempo mora

abracem-nos sóis de aqui
na sombra de cada hora

2017-03-31

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *