Minha ideia de mim

quem sou
tu és
ideia que me tens
e tenho
por que vivo

sou a pergunta à resposta que me dás
reticiência sem conclusão
sou mais do que era sabido
sem menos do tempo sofrido

sou a insurgência na tua espera
silvo da luz no silêncio dos sóis
sou a tempo do tempo de agora
quando antes era ainda depois

sou uma figura alerta
na berma da estrada
nexo na crença da causa
desenho inítido de um fim
a propósito de ti e de mim

sou a ideia que me fiz
em toda a mudança do mundo
eu sou de uma só cara
um rosto que não muda
a evolução da espécie
mas a fase que comungo

2017-03-31

Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *