Incêndios

Sob este fumo
Sufoco
Ardo em chamas sem remissão
Lágrimas
São agulhetas de coragem
Impotentes
De tamanha invasão

Tudo ao meu lado
Luta, não cansa
Persiste
Não desiste
Da radical ilusão
De um verde horizonte
A conquistar
De vontade em riste

Se me choro, apago
Se me rio, transmuto
Chuvas quentes do meu Verão
Nascentes de águas claras
Corram em meu auxílio
Me lavem
Das cinzas deste luto

2010-08-13

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , . ligação permanente.