Perseverança

Diz-lhes
sereno nas pedras onde te sentas
o que na tua praia contemplas
Diz-lhes do beijo das águas
que se elevam azuis ao azul do céu
da mais pura linha do teu horizonte
cuja nobre clareza não enxergam
Diz-lhes do sonho além-mar
que aquém se constrói, em ti reside
da imensidão
que na tua alma vês

Pois em lhes faltando a visão
nunca acreditarão
no Valor que te habita
Mas sempre tentarão
distorcer e dissimular
dizendo embora que não

No sonho que voas
Faz-te o caminho que és

2010-10-18

Gostou? Partilhe!
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • FriendFeed
  • LinkedIn
  • Netvibes
  • Add to favorites
  • blogmarks
  • email
  • PDF
  • RSS
  • Tumblr
Esta entrada foi publicada em Poesia com as tags , , , , , . ligação permanente.